PT | EN | ES
Apresentação

Epistemologias do Sul IV - O fim de um império cognitivo: o que virá a seguir?

21 a 29 de junho de 2018, Curia (Portugal)

 

A ESCOLA DE VERÃO INTERNACIONAL “EPISTEMOLOGIAS DO SUL” É UM ESPAÇO PARA CONHECER, EXPERIMENTAR, DISCUTIR E AMPLIAR AS EPISTEMOLOGIAS DO SUL

As Epistemologias do Sul são uma proposta epistemológica e política que denuncia a hegemonia do projeto moderno de matriz eurocêntrica e que aposta no alargamento das possibilidades de justiça social e justiça cognitiva, reconhecendo a impossibilidade de uma sem a outra. O Sul, neste contexto, não é um lugar geográfico, mas é, por um lado, uma metáfora do sofrimento injusto promovido pela opressão do colonialismo, do capitalismo e do heteropatriarcado e, por outro, um espaço plural de criatividade epistemológica intimamente ligada aos conhecimentos forjados nas resistências e nas lutas. O Sul assim pensado é heterogéneo e inclui espaços diversos, experiências variadas e uma infinidade saberes. As Epistemologias do Sul reconhecem essas diferenças e valorizam-nas, incentivando diálogos Sul-Sul, assim como diálogos Sul-Norte.

O fim de um império cognitivo, título do último livro de Boaventura de Sousa Santos (no prelo), assinala a exaustão epistemológica e política do pensamento eurocêntrico e o imperativo de se valorizarem propostas epistemológicas, pedagógicas e metodológicas que promovam a luta contra o epistemicídio, a destruição de conhecimentos não validados ou feitos inexistentes pelos critérios do cânone científico moderno.

A Escola de Verão funciona como lugar de encontro para a expansão da imaginação política e epistemológica, que não se basta na denúncia do pensamento hegemónico capitalista, colonialista e heteropatriarcal, procurando construir e pensar alternativas diversas, e em diferentes escalas, que através da tradução intercultural contribuam para a reinvenção das narrativas sobre o que vem a seguir. Articulando arte, ciência e os saberes das resistências e das lutas, o trabalho será coletivo e juntará Boaventura de Sousa Santos, investigadorxs do grupo das Epistemologias do Sul, poetas e músicxs, além de quarenta participantes provenientes de vários lugares do mundo.

À semelhança do que aconteceu nas edições anteriores, espera-se um grupo heterogéneo em termos de origem, conhecimento, idade e experiência de trabalho e de luta. Esta escola de verão será um espaço de troca entre todxs e coaprendizagens com as quais se imaginarão e desenharão utopias a partir de experiências e saberes concretos.

São quatro as premissas em que assentam as Epistemologias do Sul:

1. a compreensão do mundo excede em muito a compreensão ocidental do mundo;

2. não faltam alternativas no mundo, o que falta é um pensamento alternativo de alternativas: muita da diversidade do mundo é desperdiçada, porque as teorias e conceitos desenvolvidos no Norte global e usados em todo o mundo académico não identificam grande parte dessa diversidade;

3. a diversidade do mundo é infinita e nenhuma teoria geral a pode captar;

4. a alternativa a uma teoria geral é construída em quatro passos: sociologia das ausências, sociologia das emergências, ecologia de saberes, tradução intercultural. 


 

editar