PROGRAMA CULTURAL

O programa cultural do Congresso espraia-se por diversos espaços, actividades de vária ordem e por um calendário que começa na ante-véspera do Congresso – com a oficina e mostra de uma peça de teatro-fórum do Teatro do Oprimido. Depois das sessões de trabalhos, ao fim do dia, haverá espectáculos enquadrados no Congresso: um evento musical aberto à cidade de Coimbra e inserido nas celebrações do trigésimo aniversário da Revolução portuguesa de Abril – o Canto Livre – e o Serão de Contadores de Histórias, oriundos de diversas regiões do espaço lusófono, no segundo dia. Paralelamente ao Congresso, terão lugar várias exposições, que decorrem nos espaços das sessões plenárias e das sessões de debate, uma feira do livro e uma mostra de publicações dos centros de investigação de muitas instituições dos países de língua portuguesa. De permeio com as sessões científicas, haverá leituras de poesia, o lançamentos de livros e a entrega do Prémio CES. A Organização do Congresso oferece ainda, na sua página na rede, uma série de indicações acerca de lugares de diversão nocturna em Coimbra, onde os participantes poderão encontrar desde a melodia local do fado de Coimbra, aos ritmos tropicais já globalizados. Informações mais detalhadas acerca das diversas actividades estão disponíveis no programa abaixo apresentado.

Ver poemas elaborados pela Oficina de Poesia


PRÉ-CONGRESSO: 13 e 14 DE SETEMBRO (Segunda e Terça-feiras)

Oficina de formação e aperfeiçoamento das técnicas do Teatro do Oprimido
Formador: Gisella Mendoza (GTO Lisboa)

Nas oficinas, normalmente com uma duração de 40 horas, são ministrados aos participantes para além de jogos e exercícios teatrais, técnicas para a construção de anti-modelos teatrais que sirvam para promover o debate em interactividade com a plateia. Durante as acções de formação, constituem pontos principais de aprendizagem as seguintes actividades: jogos e exercícios; técnicas de ensaio; estratégias de criação de modelos de teatro-fórum; adaptação de material cenográfico, figurino e adereços; produção de espectáculos interactivos e acção e papel do Curinga.


15 DE SETEMBRO, 21H (Quarta-feira)


21.00 – Teatro de Bolso do TEUC (Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra) - Edifício da Associação Académica de Coimbra, 2º Piso - 1º andar

Apresentação pública da peça de teatro-fórum, resultante do trabalho da Oficina de formação e aperfeiçoamento das técnicas do Teatro do Oprimido

O Teatro do Oprimido (TO) é uma metodologia de teatro participativo, criada e desenvolvida pelo dramaturgo e director teatral Augusto Boal e é praticado por actores e não-actores. Esta metodologia junta exercícios, jogos e técnicas teatrais e tem por objectivo redimensionar o teatro, tornando-o num instrumento eficaz na compreensão e busca de alternativas para problemas sociais e interpessoais. As suas vertentes pedagógica, social, cultural, política e terapêutica pretendem transformar o espectador (ser passivo) no protagonista da acção dramática (sujeito activo criador), estimulando-o a reflectir acerca do passado, para transformar a realidade no presente e inventar o futuro. Chama-se Teatro do Oprimido, pois apresenta opressores, oprimidos e as opressões relacionadas com os problemas apresentados nas peças e que se constituem como problemas a serem resolvidos pelo público durante a sessão de teatro. As peças representadas no TO tratam problemas sociais que afectam ou podem afectar os espectadores e o papel do público é importantíssimo, pois o espectador pode alterar o curso dos acontecimentos, ou seja, pode participar na transformação da realidade (problema) para acabar com a opressão.

(Organização: Grupo de Teatro do Oprimido de Coimbra e Grupo de Teatro do Oprimido de Lisboa)


CONGRESSO: 16 DE SETEMBRO (Quinta-feira)
 

21.30 Pátio da Universidade

Canto Livre

Integrado nas celebrações do trigésimo aniversário da Revolução portuguesa de Abril, este espectáculo que contará com a participação de várias personalidades ligadas ao cenário da música de intervenção da época, de Vitorino e Janita Salomé, a Manuel Freire, Júlio Pereira, Francisco Fanhais, Carlos Alberto Moniz, Brigada Vitor Jara, José Fanha, João Loio e, na actualidade , Carlos Clara Gomes e Andrés Stagnaro, e o grupo de rap C.M..
Os bilhetes estarão à venda no local do Congresso, no primeiro dia do evento, ao preço de 5 Euros para participantes.

(Organização e produção: Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra e Teatro Académico Gil Vicente. Apoio da Câmara Municipal de Coimbra)


17 DE SETEMBRO (Sexta-feira)

11.15 – 13.00 – TAGV

Leitura de poesia pelos alunos da Oficina de Poesia da Faculdade de Letras (Org. de Graça Capinha, FLUC/CES)
A Oficina de Poesia da Faculdade de Letras, coordenada pela Prof. Graça Capinha, é um projecto que tem movimentado largas dezenas de estudantes de cursos diversos da Universidade de Coimbra, tendo criado, ao longo dos últimos seis anos, uma comunidade de poetas entre os estudantes, alargada à cidade. Tendo existido, primeiro, como Curso Livre e depois também como cadeira de Opção de Poética e Escrita Criativa na Faculdade de Letras, tem levado os alunos a reunirem-se em espaços variados da cidade para, através de leituras e performances, se aproximarem mais da comunidade envolvente. Desta vez, os poemas irão buscar inspiração à temática e às sessões do Congresso, a que os alunos-poetas assistirão informalmente, sendo as leituras de poesia a exposição e partilha dessa experiência. Desde o seu início que o Centro de Estudos Sociais se conta entre os apoios incondicionais do projecto.

Entrega do Prémio CES e das Menções Honrosas
O Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra criou, em 1999, um prémio de atribuição bienal destinado a jovens investigadores (até 35 anos) de qualquer um dos Países de Língua Oficial Portuguesa. O Prémio CES visa galardoar trabalhos de elevada qualidade no domínio das ciências sociais, sendo um dos objectivos principais a promoção e o reconhecimento de estudos que contribuam, pelo seu excepcional mérito, para o desenvolvimento das comunidades científicas de língua portuguesa.

Premiada:
Helena Singer, Linchamentos, Punições e Direitos Humanos: discursos desconcertados (Brasil)

Menções Honrosas:
Heitor José Rocha Gomes, Reestruturação e Expansão Industrial da Área Metropolitana de Lisboa - a emergência de novos territórios: os casos de Sintra e Alenquer (Portugal)
João Paulo dos Santos Dias, Organização Judiciária e Controlo Interno: O papel dos Conselhos Superiores em Portugal (Portugal)
Lídia de Jesus Oliveira Loureiro da Silva, Implicações Cognitivas e Sociais da Globalização das Redes e Serviços Telemáticos: estudo das implicações da comunicação reticular na dinâmica cognitiva e social da Comunidade Científica Portuguesa (Portugal)

Lançamento de livros
- Boaventura de Sousa Santos (org.), 5 volumes da colecção Reinventar a Emancipação Social: para novos manifestos. Porto: Afrontamento;
- Neusa de Gusmão. Os filhos de África em Portugal. Antropologia, Multiculturalidade e Educação. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais;
- Clara Carvalho e João de Pina-Cabral (orgs.), A persistência da História. Passado e Contemporaneidade em África. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais;
- José Machado Pais e Leila Maria Blass (orgs.), Tribos Urbanas. Produção Artística e Identidades. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais;
- José Machado Pais, Joaquim Pais de Brito e Mário Vieira de Carvalho (orgs.), Sonoridades luso-afro-brasileiras. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais;
- César Baldi (org.), Os direitos humanos na sociedade cosmopolita. Rio de Janeiro: Renovar;
- Elísio Estanque; Leonardo Mello e Silva; Roberto Véras; António Casimiro Ferreira e Hermes Augusto Costa (orgs.), Relações laborais e sindicalismo em mudança: Portugal, Brasil e o contexto transnacional. Coimbra: Quarteto;
- Alcides Monteiro, Associativismo e novos laços sociais. Coimbra: Quarteto;
- Fernando Cascais (org.), Indisciplinar a teoria. Estudos gays, lésbicos e queer. Lisboa: Fenda.;
- Paulo Henrique Martins e Breno Fontes. Redes sociais e saúde: novas possibilidades teóricas. Editora da Universidade Federal de Pernambuco;
- Revista Travessia. Apresentação dos nºs 4/5.

22.00 Palácio de S. Marcos

Serão de Contadores de Histórias do espaço lusófono – o evento segue imediatamente o jantar, no mesmo espaço e contará com a presença do contador de histórias Candido Pazó, da Galiza, e de António Vieira, que apresentará um género híbrido, misto de história e música, desenvolvido principalmente no Nordeste brasileiro - a literatura de cordel. Com origem erudita, transmitida por Portugal, o cordel veio mais tarde a ser apropriado por autores populares que o acompanhavam à viola e o ligaram a cantorias e desafios, cujas histórias, jocosas, humorísticas e irónicas, envolvem geralmente animais fora de comum, monstros e seres fantásticos.

(Organização: Associação de intercâmbio cultural Cena Lusófona)


18 DE SETEMBRO (Sábado)

17.30-18.00 – TAGV

Leitura de poesia, pelos alunos da Oficina de Poesia da Faculdade de Letras


De 16 a 18 DE SETEMBRO

- Feira do Livro, organizada pela Livraria Quarteto e com a participação da Editora Afrontamento, na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

- Mostra de publicações de vários Centros de Investigação das Ciências Sociais e Humanas do espaço de língua oficial portuguesa, na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

- Exposição “As paredes da liberdade”, na Sala Branca do Teatro Académico Gil Vicente

A exposição pretende recordar e divulgar a intensa produção gráfica e artística que invadiu as ruas do país, nos anos que se seguiram ao 25 de Abril de 1974, testemunho dum novo tempo: de liberdade, de pluralidade e de construção da democracia. Ela é, também, uma pequena homenagem aos artistas que anonimamente colaboram na actividade de propaganda política, no pós-25 de Abril. As imagens expostas fazem parte de uma colecção de 1200 fotografias que o Centro de Documentação 25 de Abril preserva no seu acervo documental, resultado do trabalho minucioso de localização e recolha de imagens feito, ao longo de quase uma década, pelo fotógrafo António Paixão Esteves, ele próprio um militar de Abril.

(Organização: Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra; Fotos: António Paixão Esteves; Design: Paulo Patrão)

- Exposição "Cinco séculos de ensino das primeiras letras: exposição de materiais didácticos", na Sala 9 da Escola Superior de Educação de Coimbra

Na comemoração dos 500 anos da publicação do primeiro livro para o ensino-aprendizagem da leitura-escrita, o evento visa criar uma panorâmica do ensino básico, sobretudo no que toca ao ensino das primeiras letras ao longo de cinco séculos. Apresentam-se impressos e manuscritos (treslados, cartilhas, cartas de letras, silabários, livros de leitura, cadernos, mapas corográficos, murais e muitos outros materiais), dos séculos XVI a XX, ao mesmo tempo que se destacam vários livros politizados (nacionalistas) de alguns dos países que evidenciaram regimes ditatoriais no século XX (Portugal, Espanha, Alemanha, Itália, Grécia, Rússia e Roménia), bem como outros de países de expressão portuguesa.

(Co-organização: SNESup – Sindicato Nacional do Ensino Superior/VIII Congresso Luso-Afro-Brasileiro. Responsável pelo planeamento e coordenação da exposição: Paulo Lopes, docente da área das Ciências da Educação no ensino superior politécnico e que prepara doutoramento na área de História da Educação (manualística escolar). Paulo Lopes tem organizado exposições idênticas em Universidades e Politécnicos nos últimos três anos)

OUTRAS ACTIVIDADES CULTURAIS A DECORRER EM COIMBRA

MÚSICA


BAR ÀCAPELLA - CASA DE FADOS
Rua Corpo de Deus
Capela Nossa Sra. da Victória
3000 Coimbra
Tel.: 917 056 060/ 938 403 976
Fax: 239 826 571
Todos os dias - 21h45

S. FRANCISCO GALERIAS BAR
Rua Carlos Alberto Pinto Abreu, 22
3040-245 Coimbra
Tel.: 239 440 080
Todas as 6ªs-feiras, noites de Jazz ou Blues ao vivo, com a actuação de diferentes grupos de jazz, de Coimbra e outros pontos do país.~

ANIMAÇÃO DE RUA:

18 e 19 de SETEMBRO: I FESTIVAL INTERNACIONAL DE GAITEIROS
O I Festival Internacional de Gaiteiros de Coimbra é também o 1º evento do género em Portugal, pretendendo ser a redescoberta de um instrumento profundamente enraizado na cultura e música portuguesas e também de outros países europeus - a gaita de foles.

Dia 18,
16h00: Desfile das 16 bandas participantes pelas ruas da cidade
22h00: Jardim da Sereia: Concerto de encerramento do Festival

Dia 19,
10h00 às 18h00, na Casa Municipal da Cultura: exposição de instrumentos
Organização: Câmara Municipal de Coimbra

14 a 19 de SETEMBRO, Baixa da Cidade: algumas sessões dos VII ENCONTROS MÁGICOS DE COIMBRA
Apresentação de três actuações diárias de magia (manhã, início e final da tarde), por diferentes mágicos, com cerca de 30 minutos de duração cada. Os Encontros Mágicos é uma realização cultural anual, organizada pelo Município de Coimbra e produzida pela "Luís de Matos Produções L.da", que conquistou um lugar de elevada projecção nacional e internacional no panorama da Arte Mágica.

EXPOSIÇÕES

Em jogo - On side

Centro de Artes Visuais
Pátio da Inquisição

Até 19 de Setembro
Entrada Livre

Centro de Artes Visuais - ENCONTROS DE FOTOGRAFIA

"Em Jogo", exposição de fotografia sobre futebol
Pátio da Inquisição

Apartado 6026
3000 Coimbra
Tel.: 239 826 178
Fax: 239 820 154

TEATRO

ESCOLA DA NOITE
18 de Set., 21h30, Oficina Municipal do Teatro
O CEREJAL
de Anton Tchekhov

Rua Pedro Nunes
Quinta da Nora
3030-199 Coimbra
Tel.: 239 718 238
Fax: 239 705 367
E-mail: geral@aescoladanoite.pt

A Escola da Noite oferece um desconto de 50% aos congressistas.

FATIAS DE CÁ
Até dia 23 de Set. 19h18,
Jardim Botânico

RAPARIGA COM BRINCO DE PÉROLA
Reservas e Informações:
Tel.: 249 314 161
Durante a peça é servida uma refeição, que corresponde ao copo d'água de festa do baptizado do filho de Vermeer, pintor flamengo em que, aliás, toda a peça se inspira.
Encenação: Carlos Carvalheiro
Produção: Fatias de Cá e Dep. de Botânica da U.C.
Direcção de Produção: Patrícia Almeida

PASSEIOS TURÍSTICOS

FUN(TASTIC)ª COIMBRA
Autocarro Panorâmico
Horário:
Todos os dias, excepto Segunda-feira
Partidas da Portagem : 10h00, 11h00, 12h00, 15h00, 16h00,17h00 e 18h00
Tarifário:
Preço normal - 6 €
Crianças com idade inferior ou igual a 12 anos - 3 €
Organização: Câmara Municipal de Coimbra
Informações: 239 801 100 (SMTUC)

BASÓFIAS - PASSEIOS DE BARCO NO RIO MONDEGO
Passeios de barco no Rio Mondego durante todo o ano.
Cais de Embarque - Parque Dr. Manuel Braga.
Fax: 239 912 444
Telm.: 96 983 06 64
E-mail: reservas@basofias.com
Url.: www.basofias.com
Verão:
3.ª-feira a Domingo e Feriados - 11h00, 15h00, 16h00, 17h00 e 18h00
Encerrado à 2ªs. feira
Preços:
Adultos - 8 €
Preços especiais para grupos (mínimo 10 pessoas) - 5 €
Almoços/jantares para grupos com marcação prévia

(voltar ao topo)

Centro de Estudos Sociais, Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra
Colégio de S. Jerónimo, Apartado 3087, 3001-401 Coimbra, Portugal
telef +351 239 85 55 70 fax +351 85 55 89 e-mail lusoafrobrasileiro@ces.uc.pt