Projeto de Tese de Doutoramento

- Diálogos do riso - Um campo aberto para repensar a arte e a educação

Orientação: António Sousa Ribeiro e Maria Irene Ramalho

Programa de Doutoramento: Pós-Colonialismos e Cidadania Global

Financiamento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES - Processo n° 0543-14-4

Este trabalho tem como objetivo ampliar a abordagem da presença da arte na educação a partir do conceito de racionalidade estético-expressiva, desenvolvido pelo sociólogo Boaventura de Sousa Santos, e do conceito "transver" do poeta Manoel de Barros. Passará pelos fundamentos teóricos da educação pela arte, e da arte-educação; percorrendo um caminho em busca de diálogos com professores/as, observando, com eles e elas, conceitos e práticas que envolvem a presença da arte na educação. Estará empenhado em visualizar a arte e a educação, enquanto dois campos de universos culturais diferentes, o que implicará estar numa condição de fronteiras (SANTOS, 2002; BHABHA, 1998; MIGNOLO, 2003; RIBEIRO & RAMALHO, 1999), tanto na relação identitária dos dois campos; como na condição de abertura enunciada pela racionalidade estético-expressiva, e ainda na situação de transição paradigmática. Buscará experiências que oxigenem os fundamentos existentes sobre a educação pela arte, uma vez que atualmente tais conceitos e investigações revelam perspectivas demasiadamente técnicas, e consequentemente cooptadas pela "racionalidade cognitiva-instrumental da ciência" (SANTOS, 2002: 58-70), bem como pelos domínios da regulação: Estado e mercado. Propõe-se também aqui uma reflexão acerca de situações em que a educação, também colonizada pelos domínios da regulação (SANTOS, 2002), tende exercer relações colonizadoras diante das experiências com a arte. O conceito de educação será orientado pelas teorias pós-coloniais e pós-críticas da educação e do currículo; dialogando também com as teorias anarquistas (FERRER, 2010; NEILL, 1971-1974; ILLICH, 1974); o conceito de arte desenvolvido com base no pensamento de poetas, portanto, a poesia será a forma artística mais solicitada. Este trabalho carrega uma dimensão autobiográfica; compreende que a arte pode nos oferecer um saber, com este saber poderemos ter possibilidades de "transver" o mundo. (BARROS, 2010: 350).