11ª EDIÇÃO DO PRÉMIO CES PARA JOVENS CIENTISTAS SOCIAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Inês Nascimento Rodrigues vence 11.ª edição do Prémio CES

Julho de 2019

A 11.ª edição do Prémio CES para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa, apoiada pela Fundação Calouste Gulbenkian, teve como júri Graça Carapinheiro (ISCTE-IUL), Hermes Costa (CES), Isabel Maria Casimiro (Universidade Eduardo Mondlane), José Neves (Universidade Nova de Lisboa) e Nilma Gomes (Universidade Federal de Minas Gerais), presidido pelo Diretor Emérito do CES, Boaventura de Sousa Santos. 

O prémio foi atribuído a Inês Nascimento Rodrigues com o trabalho Espectros de Batepá. Memórias e narrativas do «Massacre de 1953« em São Tomé e Príncipe.

O júri deliberou ainda atribuir 4 menções honrosas aos seguintes trabalhos, por ordem alfabética do/a autor/a:
- Linguagens Pajubeyras. Re(Ex)Sistência Cultural e Subversão da Heteronormatividade, de Carlos Henrique Lucas Lima;
- Numiã Kurá. As lutas das artesãs no Amazonas, de Jenniffer Simpson dos Santos;
- Portugal e a questão do trabalho forçado. Um império sob escrutínio (1944-1962), de José Pedro Pinto Monteiro;
- A voz e a palavra do MOVIMENTO NEGRO na Constituinte de 1988, de Natália Neris da Silva Santos.
 

Sobre o Prémio

O Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra, criou, em 1999, um prémio de atribuição bienal destinado a jovens investigadores/as (até 35 anos) de Países de Língua Portuguesa. O Prémio CES visa galardoar trabalhos de elevada qualidade no domínio das ciências sociais e das humanidades. Um dos objetivos principais é o de promover o reconhecimento de estudos que contribuam, pelo seu excecional mérito, para o desenvolvimento das comunidades científicas de língua portuguesa. O domínio das ciências sociais é entendido em sentido amplo.

No valor de 5.000,00 Euros, esta 11.ª edição do Prémio CES é financiada pela Fundação Calouste Gulbenkian.