FORLAND
Riscos hidro-geomorfológicos em Portugal: forçadores e aplicações ao ordenamento do território

Período
1 de junho de 2016 a 31 de maio de 2019
Duração
36 meses
Financiamento
Fundação para a Ciência e Tecnologia
Resumo

O número crescente de desastres de origem hidro-geomorfológica em todo o mundo tem sido relacionado com o aumento da frequência e magnitude das cheias e movimentos de massa em vertentes, como uma consequência direta das alterações climáticas, mas também como uma consequência do aumento da exposição de pessoas e bens ao risco de desastres.


Em Portugal as cheias e os movimentos de massa em vertentes estão no tipo dos desastres naturais. Recentemente, a base de dados DISASTER permitiu o incremento do conhecimento científico sobre a matéria, com a recolha de informação básica sobre cheias e movimentos de vertentes que causaram consequências sociais em Portugal no período de 1865-2010. No entanto, e até ao momento, os eventos hidro-geomorfológicos ocorridos em Portugal não foram estudados em detalhe de forma a caraterizar corretamente o seu forçador climático. As análises anteriores têm incidido em casos de estudo de eventos extremos, que apresentam na sua génese diferentes condições atmosféricas de grande escala.


Este projeto assim como objetivo chave compreender a natureza multifacetada dos eventos de desastres de cheias e movimentos de massa em vertentes que ocorreram em Portugal, o que é decisivo para a conceção e implementação de estratégias eficazes de adaptação e gestão de desastres.

Resultados

O projeto FORLAND irá fornecer uma caixa de ferramentas, incorporando orientações proactivas para o ordenamento do território, ferramentas de gestão do risco de desastres e estratégias de adaptação para promover a redução dos desastres, baseada em perfis municipais de risco diferenciado e envolvendo cientistas, autoridades regionais e locais e stakeholders.

Parceiros

Instituições Proponente:

Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa (IGOT/Ulisboa)

Instituições parceiras:

Direção-Geral do Território (DGT)

Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, FP (FFC/FC/UL)

Investigadoras/es
Alexandra M. Ramos
Alexandre Oliveira Tavares (coord)
António Amílcar da Silva
Carmen Diego Gonçalves
Eusébio Reis
Fernando Jorge da Rocha
José Luís Zêzere
José Manuel Mendes
Leandro Barros
Marcelo Henrique Fragoso
Margarida Queirós
Maria Branco
Mónica Santos
Pedro Pinto dos Santos
Ricardo Garcia
Ricardo Trigo
Sérgio Manuel Cruz de Oliveira
Sofia Vaz
Susana da Silva Pereira (coord)
Palavras-Chave
riscos hidro-geomorfológicos, forçadores climáticos, uso do solo, ordenamento do território