Projeto de Tese de Doutoramento

Peregrinações Militares e Patrimonialização da Memória da Guerra Colonial

Orientação: Miguel Cardina e Roberto Vecchi

Programa de Doutoramento: Patrimónios de Influência Portuguesa

Financiamento: European Research Council | Projeto CROME - ERC-2016-StG-715593

Tendo presente o crescimento e a multiplicidade de atos públicos de rememoração da Guerra Colonial verificado desde os anos 2000, este trabalho propõe analisar o modo como as peregrinações militares (de antigos combatentes) e as cerimónias e rituais que estas integram - realizadas de forma coletiva em espaços públicos - contribuem para a criação de processos de patrimonialização da memória da Guerra Colonial. Os processos de patrimonialização gerados ou associados a estas peregrinações podem inscrever-se no plano da monumentalização (através da construção de memoriais, museus e monumentos evocativos da memória da Guerra) ou no plano simbólico (através da institucionalização de cerimónias, encontros, rituais ou práticas de rememoração da Guerra).

O estudo procurará avaliar em que medida estes processos influenciam a criação de novos modelos de rememoração da guerra, contribuem para a manutenção ou reconfiguração das narrativas públicas e das narrativas oficiais sobre o conflito e influenciam o desenvolvimento de processos de 'imaginação mnemónica' que, consequentemente, potenciam a (re)estruturação e (re)criação das memórias que os participantes destas peregrinações têm da Guerra Colonial.

A análise empírica, baseada numa metodologia qualitativa, incidirá sobre 3 tipos de peregrinação: turismo da saudade; peregrinações militares a santuários religiosos ou lugares de culto e viagens relacionadas com a exumação e transladação dos restos mortais de antigos soldados portugueses de África para Portugal.

O trabalho analisará ainda o papel das associações de veteranos militares, bem como de outros promotores ligados a esta Economia da Memória, na organização e promoção destas peregrinações e dos atos comemorativos associados, procurando avaliar o seu contributo para o crescimento do número e da multiplicidade de atos públicos de rememoração da Guerra, bem como para atrair uma maior atenção para as reivindicações e testemunhos dos antigos combatentes, por parte dos media, atores políticos e sociedade civil.